Livraria 18 de Abril

Register for free | Sign in

Esterilização

   

A ausência de fé e a ignorância acerca das Leis que regem a vida têm feito com que a Humanidade se desvie do caminho reto, para tomar atalhos que lhe custarão mais tempo nas teias do sofrimento.

Esquecendo-se de que Deus é a Inteligência Suprema do Universo, Criador de todas as coisas, o homem, crendo-se mais inteligente e mais sábio que a própria Divindade, toma decisões equivocadas que só o conduzirão às valas da desdita.

Talvez porque pense que Deus está dormindo ou não tem competência para cuidar da Sua Criação, ou talvez por interesses escusos, para satisfazer o egoísmo e o orgulho, o homem tem se arvorado a tomar decisões que não lhe dizem respeito.

Acha-se suficientemente sábio para deliberar sobre a eutanásia, interrompendo a vida antes que Deus o faça...

Crê-se inteligente o bastante para aprovar o abortamento criminoso, antes de pensar que quem dá a vida é o Criador.

Admitindo-se mais onipotente que Deus, decreta a esterilização em massa de homens e mulheres das camadas financeiramente carentes.

Por tudo isso a Humanidade terá que responder, mais cedo ou mais tarde, diante da verdadeira onipotência, que é Deus.

Diz-se que o homem moderno é sábio, mas lembremos que a verdadeira sabedoria não está na soma de diplomas e conquistas intelectuais, e sim na admissão de um Ser Soberano que faz com que caia a chuva, nasçam as flores, girem os planetas, enfim, exista a vida.

O homem moderno pode brincar de criador mas, na realidade, jamais criou uma única semente capaz de germinar, sem a ajuda de Deus.

Pode acabar com o corpo, encurtando a existência terrena de pessoas e animais, mas jamais criou um sopro de fluido vital.

Faz-se oportuno pararmos para refletir um pouco sobre tudo isso.

O homem verdadeiramente sábio realiza cirurgia intra-uterina, corrigindo a má formação do feto, fazendo das próprias mãos uma extensão das mãos de Deus, auxiliando as criaturas.

Já o pseudo-sábio prefere eliminar do ventre materno o bebê com deformidades, porque pensa que Deus não sabe o que está fazendo.

A vida tem que seguir o seu curso natural, conforme estabeleceu a Divindade.

Mulheres e homens que necessitam da esterilidade, já nascem com ela.

Crianças que não devem nascer, são abortadas naturalmente.

E os doentes que não necessitam mais do sofrimento, desatam-se do corpo como uma frágil vela que se apaga.

Para tudo isso, Deus não necessita da ajuda dos homens. Mas solicita, sim, o concurso desses na preservação da vida. Isso sim, o homem pode, e deve fazer.

* * *

Allan Kardec, apresentou aos Espíritos a seguinte pergunta:

Indo sempre a população na progressão crescente que vemos, chegará tempo em que seja excessiva na Terra?

E os Espíritos responderam:

Não, Deus a isso provê e mantém sempre o equilíbrio. Ele nada faz de inútil. O homem, que apenas vê um canto do quadro da natureza, não pode julgar da harmonia do conjunto.

Pensemos nisso!

Redação do Momento Espírita, com base no item 687 de O livro dos espíritos, de Allan Kardec, ed. Feb.