Warning: Use of undefined constant pesquisar - assumed 'pesquisar' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/public/propriedades.php on line 235

Warning: Use of undefined constant comentarios - assumed 'comentarios' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/propriedades.php on line 60

Warning: Use of undefined constant todos - assumed 'todos' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/propriedades.php on line 66

Warning: Use of undefined constant todos - assumed 'todos' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/propriedades.php on line 69
Momento de Reflexão

Livraria 18 de Abril

Register for free | Sign in


Warning: Use of undefined constant livros_cds - assumed 'livros_cds' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 172

Warning: Use of undefined constant comentar - assumed 'comentar' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 178

Warning: Use of undefined constant comentar - assumed 'comentar' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 190

Senhora da justiça


Warning: Use of undefined constant curtir - assumed 'curtir' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 385

Warning: Use of undefined constant compartilhar_facebook - assumed 'compartilhar_facebook' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 391

Warning: Use of undefined constant compartilhar_facebook - assumed 'compartilhar_facebook' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 391

Warning: Use of undefined constant compartilhar_twitter - assumed 'compartilhar_twitter' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 395

Warning: Use of undefined constant imprimir - assumed 'imprimir' (this will throw an Error in a future version of PHP) in /home/reflexao/www/private/mensagens.php on line 397

   

Muito poucos são aqueles que não têm medo dela. Alguns nem desejam lhe pronunciar o nome.

É como se o sol nublasse quando ela se aproxima.

Às vezes, chega de mansinho, dando avisos diversos, aqui e ali. E mais uma vez.

De outras, ela chega repentina, rude, como se fosse um felino saltando sobre a presa.

Num ou noutro caso, nunca é bem-vinda.

Os homens a pintaram desde épocas recuadas como uma megera ameaçadora, de vestes negras, horripilantes.

Tudo nela causa temor.

A sua presença é motivo de amarguras, lágrimas e saudades que não findam.

É, no entanto, servidora de Deus em favor da grande vida.

Costuma ser rejeitada, abominada mesmo, considerada como poderosa e intransigente inimiga, destruidora de sonhos.

Tudo por causa do pouco entendimento quanto à sua grave e divina missão.

Quando ela se apresenta, é como se sobre todas as coisas, neve regelante se abatesse.

A paisagem dos corações se transforma em um inverno intensamente frio e dolorido.

Uma paisagem sem esperanças.

Situada na faixa da justiça, ela não privilegia a ninguém. Não lhe interessam condições econômicas, culturais ou sociais.

Nem se curva a faixas etárias ou a postos de comando, títulos, cargos de importância do mundo.

Poucos conseguem ter paz perante seus sinais e pouquíssimos já podem expressar alegrias ante seus anúncios.

Contudo, ela representa as leis divinas. E as leis de Deus sempre visam ao bem de todas as almas, filhas do seu amor.

Você já deve saber de quem falamos. A senhora da justiça: a morte.

Ninguém lhe foge. Ninguém a ela se furta. Poderosos, comandantes e comandados, ricos, pobres, a todos alcança, no devido tempo.

Se tu conheces a Jesus e admites a perfeição da vontade do nosso Criador, aprende a respeitar esse ser, cuja presença tanto assusta, desde tempos recuados.

Não precisas lhe prestar culto. Também não precisas temê-la.

Basta que vivas nobremente no mundo e que ensines os teus a fazer o mesmo.

De forma mansa, como a luz do dia que dilui as sombras da noite, ou rápida e violenta, como o salto de um felino, a morte a todos envolverá.

E todos seremos transladados dos campos do passageiro aprendizado terrestre para o grande lar da vida imperecível, no seio das estrelas.

Podemos acreditar que, após a morte, haveremos de dormir um longo sono.

Ou se crer que iremos, conforme nossos méritos, para lugares determinados e fixos.

Ou guardar a certeza de uma vida plena, no mundo espiritual ativo e atuante.

O que é certo é que a morte nos arrebatará a vida física, mas, na qualidade de espíritos imortais, prosseguiremos nossa jornada de luz.

***

Cada pessoa morre conforme vive, ligada às paisagens festivas da esperança ou algemada às paixões fatigantes dos seus desvarios.

Cada um morre no corpo, transferindo para a realidade espiritual o patrimônio que lhe é próprio, sem protecionismos, nem punição injusta.

Vive, assim, de tal forma que, em advindo a morte, estejas livre e prossigas feliz.

Equipe de Redação do Momento Espírita, com base na mensagem Senhora da justiça, do Espírito Rosângela, psicografada por J. Raul Teixeira, em 17.07.2006, em Niterói-RJ e frases do livro Repositório de sabedoria, volume 2, do Espírito Joanna de Ângelis, psicografia de Divaldo Pereira Franco, ed. Leal, verbete morte.