Livraria 18 de Abril

Register for free | Sign in

O equilíbrio da saúde

   

É comum, em relação à questão da saúde, vivermos, quase sempre, procurando combater a doença, haja vista o número de remédios, farmácias, hospitais equipados com alta tecnologia para diagnóstico e tratamento, planos de saúde, etc.

Por esses meios buscamos a libertação de nossos males, no entanto, continuamos doentes e mais ansiosos em nos vermos livres das doenças.

Novas doenças aparecem a cada dia, doenças milenares ressurgem com toda a força. Tudo isso acontece num momento em que a Medicina conta com recursos avançadíssimos de diagnóstico e tratamento. Por que isso acontece?

Em uma abordagem profunda, querer se livrar da doença não significa a mesma coisa que buscar a saúde.

Desenvolver a saúde requer um movimento do indivíduo em direção a ela. Não é possível nos livrarmos da doença de fora para dentro.

Muito menos, através de uma atitude de ansiedade e inquietação no sentido de arrancá-la de nós, por meio de recursos externos.

Arrancá-la só nos trará um alívio temporário para que, posteriormente, possamos agir de outra maneira.

A causa das doenças, tanto as mentais quanto as físicas, estão no Espírito doente que ainda somos, comprometidos com a ignorância e a ilusão, a rebeldia e a violência, o egoísmo e a negação do dever.

Todos esses fatores são geradores de sofrimentos, de enfermidades e dores.

O ser, então, sem a ética necessária ou o sentimento de superior eleição, atira-se nos cipoais dos conflitos que geram a desarmonia das defesas orgânicas.

Essas cedem à invasão de micróbios e vírus que lhes destroem a imunidade, instalando-se, insaciáveis, devoradores.

Certamente, as terapias convencionais ajudam na recuperação da saúde, na sua relativa manutenção.

Todavia, somente os fatores internos que respondem pelo comportamento emocional e social podem criar as condições permanentes de bem-estar, erradicando as causas penosas e promovendo o equilíbrio estrutural do ser.

Encobrir uma ferida não impede que ela permaneça decompondo a área, na qual se encontra instalada.

Jesus sintetizou no amor a força poderosa para a anulação das causas infelizes do sofrimento e para a sua compensação pelo bem.

Na fé, a canalização de todas as possibilidades psíquicas alterando a ação das forças habituais.

A fé tudo pode, pois aciona inexplorados mecanismos íntimos do homem, geradores de forças não utilizadas, modificando por completo a paisagem interna e, posteriormente, a paisagem externa do ser.

Allan Kardec, o Codificador da Doutrina Espírita, através da observância das lições do Evangelho e das diretrizes propostas pelos Espíritos Superiores, aludindo a Jesus, apresentou a caridade como sendo a via real para a salvação, a aquisição da saúde integral.

Pense nisso

Somente uma ação decisiva, firme, visando a saúde espiritual, nos libertará definitivamente das doenças que, em si mesmas, são caminhos para a conquista da saúde do Espírito.

É na transformação moral do indivíduo para melhor e na ação da caridade que a cura se processa e o sofrimento se dilui, cedendo lugar à paz e ao equilíbrio psicofísico.

Redação do Momento Espírita com base em texto explicativo do livro Saúde espiritual, de Alírio de Cerqueira Filho, ed. Ebm e do cap. VIII do livro Plenitude, pelo Espírito Joanna de Ângelis, psicografado por Divaldo Pereira Franco, ed. Leal.